Encurralado (1971) – Spielberg já apavorava desde cedo!

20 01 2009

duel1

Reproduzo aqui o belo texto do colega Murilo, editor do blog State of Kubrick, sobre um dos filmes mais cinematográficos de Spielberg. Filme este que abriu os olhos do mundo para um inegável talento no começo de sua carreira:

Encurralado (1971), primeiro filme dirigido por Steven Spielberg, nos passa a grata sensação do que seria um filme de suspense na sua essência, sem qualquer tipo de subterfúgio que nos fizesse desviar o olhar, sem nenhum excesso, só a polpa, o miolo, a gema. O filme é puro combustível, praticamente uma hora e meia de perseguição entre um caminhão-tanque e um Plymouth Valiant vermelho, de um pacato californiano interpretado brilhantemente por Dennis Weaver.

Duel, no seu título original, é uma obra que evidencia o talento de um sujeito com senso de ritmo extraordinário, em seu primeiro longa-metragem (inicialmente feito para TV, mas depois expandido para lançamento comercial nos cinemas). Esqueçamos do Spielberg açucarado, onde não há bomba nuclear que destrua uma família: aqui, Spielberg mostra a que veio num longa o qual Hitchcock certamente aplaudiu de pé. Este é o filme minimalista de Spielberg, de estrutura mais radical, sem que isso signifique, de maneira alguma, um filme menor, menos instigante. Arrisco dizer que este talvez seja o melhor Spielberg, ao menos o mais empolgante nos sentidos técnico e narrativo, principalmente quanto à decupagem e montagem de som.

O filme, logo de cara, se inicia com diversos planos subjetivos belíssimos do carro em movimento; não há qualquer tipo de introdução de personagem, apenas o motor roncando e veículo saindo da garagem. Spielberg se utiliza, nos vinte minutos iniciais, apenas do som diegético do rádio, e as narrações dos programas já funcionam como indícios da tensão que está por vir. E que maravilha é ver um diretor produzindo suspense com uma única ultrapassagem, ou mesmo quando enquadra o protagonista envolvido numa “bolha” que se forma ao seu redor pela tampa aberta de uma máquina de lavar, no momento em que telefona para a esposa de um posto de gasolina, mostrando o quanto ele está “encarcerado”, mesmo dirigindo numa pista de alta velocidade praticamente vazia, livre.

É de fato uma pérola, um low budget movie filmado em apenas treze dias, o que atesta a perícia de um diretor que estava apenas em começo de carreira, ainda sem o elevado espírito paternal politicamente correto com o qual os seus filmes posteriores viriam impregnados, muitas vezes de maneira exagerada e piegas. Mas está aí a prova inegável do trabalho de um mestre, acima de tudo, do entretenimento. O motorista que nunca vemos, a cena-chave no Chuck´s Café, as narrações em off, são todos recursos usados com a perícia e o ímpeto juvenil do então futuro rei-midas de Hollywood, que sabe como ninguém se comunicar com as massas e fazê-las sair de uma sessão de um filme seu satisfeitas como uma criança que acabou de ganhar o mais vistoso e colorido brinquedo.

 

Anúncios

Ações

Information

15 responses

20 01 2009
Kau Oliveira

Denis, num passado bem recente eu detestava o Steven. Mas comecei a recapitular sua filmografia e vi muita genialidade no trabalho dele. Infelizmente não entrei em contato com Encurralado, mas verei em breve.

Abraços!

20 01 2009
Murilo

Poxa, Denis, é uma honra para mim ter esse texto publicado aqui. Muito obrigado novamente! E Spielberg é realmente um cineasta a se reavaliar sempre. Também nutria certa indiferença quanto a sua obra, até pelo teor excessivo de sentimentalismo, que acaba sabotando muito de seus filmes. O Munique, por exemplo, já é um filme infinitamente mais maduro, não só pelo teor político, mas pela carga de imagens incrivelmente nostálgica, anos 70 – fotografia sóbria, os zooms bem característicos, que me lembraram filmes como A Trama, ou Todos os Homens do Presidente. Claro que ET ou Contatos Imediatos comportam essa coisa sentimental, de muitas lágrimas. Mas O Terminal, por exemplo, é uma bomba. Enfim, Spielberg merece sempre uma reavaliação.

Abraço!

20 01 2009
Erika Liporaci

Dennis,

Muito boa lembrança tua, resgatar esse filme muito comentado e pouco visto de Spielberg. Confesso que tenho meus altos e baixos com o cineasta, adoro os primeiros filmes dele, mas não gostei muito do que ele fez a partir do Soldado Ryan e, mais recentemente, fiz as pazes com Munique e, principalmente, o quarto Indiana Jones (que ele tava devendo pra gente há quase duas décadas).

Quanto a incluir meu link, só posso agradecer. E retribuo incluindo o teu lá no Artes & Subversão também. Blogueiros unidos, é isso aí!

Abraço,

20 01 2009
Otavio Almeida

Steven é foda! ENCURRALADO é filmaço da porra! Já era excelente quando ele engatinhava!

Abs!

20 01 2009
Red Dust

Um filme sempre em constante tensão e suspense. Spielberg acertou logo de primeira e não foi sorte de principiante… 🙂

10/10.

Abraço.

20 01 2009
Gustavo H.R.

Acertou na mosca o texto. DUEL é econômico, tenso e extremamente eficiente. Dá-lhe, jovem Spielberg.

21 01 2009
Wally

Adorei o texto, mas ainda não tive a oportunidade de ver o filme. Pretendo em breve…

Ciao!

21 01 2009
João Paulo

Poxa, eu tenho o filme mas ver no pc é triste de ruim …
Pense …

Mas vou ver o mais rapido possivel …

21 01 2009
Sérgio Déda

Spielberg é fantástico… este é um dos seus que quero assistir desde já… aliás todos que não vi ainda dele, eu anseio por assistir.

Abraços!

21 01 2009
Cassiano Sairaf

Esse filme é uma ótima estreia desse que viria a ser um cineasta genial!

21 01 2009
Weiner

É claro que eu aprovo a inclusãoo do meu blog na sua lista de links – e quero fazer o mesmo com você. Sobre “Encurralado”, é um dos piores de Spielberg, sem nada de grandioso. Podemos perdoá-lo, já que é seu primeiro filme. O problema, na verdade, é o fato de que nos acostumamos com um Spielberg imaginativo – eu sou desta geração; aí quando vemos um Spileberg mais “tensão” acabamos achando mais fraco.
Um abraço, Dennis!

22 01 2009
Luis Felipe

Ó deus, preciso logo ver Encurralado!!! Sempre passo batido, uma de minhas vergonhas cinematográficas (quem não têm as suas?). No mais, pode incluir meu blog entre seus links sim!!! Será uma honra! Farei o mesmo com o seu blog. Abraços!

22 01 2009
Pedro

Filmaço! O pontapé inicial de um mestre!

22 01 2009
Marcel Gois

Denis, o Ranking do Bolão Talking About Movies já foi postado lá no blog, dá uma passada lá depois para conferir. E aconselho que post nos comentário a correção da sua lista, como estão fazendo lá, dae se eu tiver errado na hora de contar seus pontos eu já corrijo.

E qnt ao filme dos Coen que você me indicou, pode deixar que eu vou procurar ele, e qnd eu assistir de digo o que achei.. rs

23 01 2009
denistorres79

Kau, Wally, Luís Felipe e João Paulo, veja o quanto antes! Alugue esse filme mas cuidado e preste atenção se não há ninguém te perseguindo!

Red Dust, Spielberg é o gênio do cinema entretenimento e de qualidade! Abs.

Obrigado, Gustavo.

Octavius, Cassiano, Pedro e Sergio, assino embaixo.

Milly, já te mandei a tradução por e-mail. Improve your english, baby.

Weiner, gosto é fogo, né? Esse filme prende minha atenção do começo ao fim e não é para ser grandioso mesmo, a intenção dele é bem diferente. Abs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: