Anticristo (Antichrist, 2009) de Lars Von Trier

29 08 2009

antichrist-poster

Em Anticristo temos uma mistura do cinema psicólogico e religioso do sueco Ingmar Bergaman e do modo lento e reflexivo do russo Tarkovski (cujo filme é dedicado). Em termos de narrativa o filme é soberbo, dividido precisamente em um belo prólogo com a linda Lascia ch´io pianga, de Handel, como trilha de fundo. Quatro partes (Luto, Dor, Desespero e os três mendigos) formam a principal história, fechando num breve epílogo.

A história conta a recuperação de um casal após a trágica morte de seu filho. William Defoe (perfeito no papel) é o marido psicanalista e Charlotte Gainsbourg (numa soberba e corajosa atuação) a sua esposa escritora. No filme eles não possuem nome próprio e isso claramente é intencional pois Lars fala de sentimentos universais e não quer se prender a nenhum tipo específico.

Na tentativa de auxiliar a sua esposa, que sofre de uma profunda depressão e ansiedade, Defoe faz com que a mesma confronte seus piores medos como parte da terapia e a leva para uma cabana isolada no meio da floresta, que teria sido usada pela mesma quando estava reclusa com seu filho, trabalhando no preparo de um livro sobre o Éden. A partir dai, para usar uma popular frase americana, all hell breaks loose.

Os simbolismos do filme falam de culpa, dor, perda, sexualidade, violência e loucura. A natureza é o principal personagem do filme, aqui descrita como “a igreja de satã”. Natureza esta tanto a que vemos no seu plano físico como aquela intrínseca a todos nós. Fica evidente um manifesto que o mal é um bem necessário e não há moralidade que se sustente quando nos confrontamos com nossos sentimentos mais primitivos.

A respeito da personagem feminina não enxergo nenhuma misoginia no filme e sim uma admiração inconteste pelo ser feminino, admiração tão forte que chega a causar inveja. A mulher representa o todo, ela é completa, é a causa de nossos males e bençãos. Em resumo: a caixa de Pandora se abriu e jamais será fechada.

O filme parece, em vários pontos, se tratar de uma busca de recuperação pessoal. E por mais radical que possa parecer, eu acredito na expurgação desses demônios que atormentam a vida de uma mente brilhante e criativa através de situações absurdas à primeira vista. E essas cenas são muitas vezes chocantes, mas cheias de nuance, e se encaixam perfeitamente na ideia e proposta demente de Lars.

Anticristo é mirabolante e, com seu final apoteótico e pertubador, consegue manter a certeza de temos visto algo único, bizarro e apaixonante. E quando chega os créditos a sensação é de uma experiência extremamente recompensadora. Aleluia.

Anúncios

Ações

Information

24 responses

29 08 2009
Vulgo Dudu

Ótima a sua resenha! Tô querendo ver o quanto antes, mas minha mulher também quer ver e pediu que eu a esperasse… rs… Espero conferir até semana que vem!

Abs!

29 08 2009
denistorres79

Eduardo, veja o quanto antes Anticristo. Porém, prepare-se: vai ser uma terapia de casal daquelas!

31 08 2009
Otavio Almeida

Pior que vou pagar pra ver isso… Abs!

1 09 2009
Wally

Putz… mais uma crítica impressionante. Vou ter que recorrer ao visionamento ilegal.

1 09 2009
Pedro Tavares

Arrisco dizer que é o filme do ano. Pelo menos até agora.

1 09 2009
denistorres79

Otávio, vá sem medo! E boa sorte.

Wally, não tem cinema aí na sua cidade que passe esse filme?

Pedro, posso dizer que é o filme que mais me marcou até agora esse ano .

1 09 2009
Marcus

Orra che, belo texto. Sinceramente eu não sei o que esperar, mas irei conferir com certeza. Inté!

1 09 2009
André C.

Denis,
admito que voltarei outra outra hora para ler seu comentário… antes quero ver mais esta loucura de Lars Von Trier.

Abraços,
André C.

1 09 2009
denistorres79

Marcus, colega gremista, obrigado e vá na fé!

André, meu texto não entrega nada do filme. Fique tranquilo e boa sessão!

4 09 2009
giselle

um filme difícil.
impressionante como Lars consegue incomodar o espectador com este longa. ruídos eram constante, tosse, saídas da sala. o silêncio, a penumbra, e sexo exacerbado, ainda provocam e incitam o espectador. senti enjôo e náusea, fui completamente despreparada (sem sinopse na cabeça). não há como dizer se há amor, quem são esses personagens? cúmplices?
estou digerindo!

4 09 2009
Denis Torres

Giselle, é assim mesmo. O filme foi feito pra incomodar. Acredito que só pelo fato de colocar a gente numa auto indagação constante, já merece nossa admiração. Não acha? Abs e passe sempre que quiser!

5 09 2009
Roberto

Olá,

Por favor, volte a publicar o seu comentário, desta vez neste link:
http://cineroad.blogspot.com/2009/05/forum-do-cineroad.html

É que aquele post não está recebendo comentários.

Obrigado.

AGORA QUANTO A ESSE BLOG que só agora descobri graças a sua visita, é muito bom. Parabéns.
Vou tornar-me seguidor.

Obrigado pela visita e até uma próxima!

P.s. – Você é do Brasil ou de Portugal?

Cumps.
Roberto Simões
CINEROAD – A Estrada do Cinema

6 09 2009
Wally

Nenhum cinema, infelizmente!

10 09 2009
Febreu

Aleluia! Antichrist é uma narrativa genial sobre uma historia surreal de medo natural.
Pertuba, faz sentir vivo.

10 09 2009
denistorres79

Concordo! É um filme e tanto.

14 09 2009
Elton

Excelente filme.

Não tem nada sobre religião, apenas condição humana.

Tem umas cenas gostosas de transas…

tirando a parte que ela corta o pinguelo fora.

16 09 2009
denistorres79

Olá Elton, vejo que muita gente gostou, até mais do que eu pensava. Abs!

22 09 2009
dominique

Excelente resenha. Falou exatamente o que senti quando o filme terminou. É uma sensação de “ufa, ainda bem”, mas ao mesmo tempo é um filme que não sai da cabeça. Já vi tem alguns dias e toda hora me pego pensando em alguma parte.

22 09 2009
denistorres79

Dominique Swain, depois que vi esse filme fiquei com medo de mulheres taradas, rsrs. Se vc também gostou do filme, leia outra resenha muita boa do Pondé, da Folha SP, publicada ontem (21/09). Abs e passe sempre!

24 09 2009
Brian

Estou admirado pelos comentários excelentes que deram a esta obra prima. porque todos os outros sites que entrei tinham dezenas de pessoas criticando o filme, parabéns pelo bom gosto realmente foi uma experiência e tanto assistir este filme, já ví umas 5 vezes e ainda gravei no meu psp pra ver de vez em quando.

31 01 2010
ana

não gostei do filme. esperava outra coisa.
acreditem ou não mas no espaço de 10 minutos sairam da sala umas 4 pessoas e posteriormente, no intervalo, sairam mais umas tantas….

9 02 2010
Anticristo | Você Viu? Eu Também!

[…] um filme, calmo e intenso, com a bela música Lascia ch´io pianga, de Handel (segundo o Denis do Cinemaníaco). Mas mesmo numa bela abertura, muito bem montada, Lars Von Trier já deixa claro o que virá pela […]

12 02 2010
Maria

O filme não presta. Lamento.

Até podia prestar, mas de thriller psicologico não tem nada.

Mal conseguido.

21 02 2010
Auxiliadora

Não entendi nadinha do filme. Achei o texto muito pesado e o que salvou foi a atuação de William Dafoe.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: